Browse by:

novembro

eu num sei muito bem o que te falar, novembro, só sei que, de você, eu espero cura. e aqui eu não falo pra você curar todas as dores do mundo, não, eu falo pra você desacelerar pra perceber, desafiar pra colher, mergulhar pra entender, enfim. eu espero que você amplie a mente das pessoas…

versos

imagina quando a gente viajar o mundo traçar o infinito e desvendar qualquer olhar amor, cacá amaramizadeamorartecamila haikcéudançadia a diaescreverescritorafamíliaimaginarirluamúsicamundonoitepessoaspoemapoesiaresistênciasonhostempotextotrabalhouniversovervida

rotina

veja bem, meu amor, meu sorriso é mais leve com você ao lado, meu olhar é mais bonito ao olhar pro teu. sinta aqui, meu amor, que minha vida compartilha com a tua momentos felizes de instantes únicos que vivemos ao sonhar. meu sonho é mais perfeito com o teu, teu pensamento se encaixa com…

visão

eu pertenço à luz que bate no meu cabelo nos meus olhos na minha pele como um girassol e me faz enxergar a vida da forma mais pura e mais especial que alguém pode olhar a si mesma – eu pertenço a mim amor, cacá amaramorarartecafécamila haikdançaescreverescritaescritorescritoraestrelafantasialuamulheresmundopazpessoaspoesiaresistênciarespeitoromancesegurançasolarsonhostempotrabalhouniversovidaviver

em branco

tinha um papel em branco e eu enchi de poesia os espaços que cabiam pra eu me encontrar tinha um papel em branco e eu escrevi o que podia pra a cada instante dizer o que sentia sobre a vida sobre os dias sobre o tempo tempo tempo tempo tinha um papel em branco recheado…

no meio do caminho

sabe, a vida às vezes nos coloca numas situações complicadas, daquelas que têm duas linhas, dois lados pra seguir, duas vias pra escolher, um mais um de muito bla bla bla e que, ao mesmo tempo, é mais uma daquelas que não possuem nada. e aí a gente se pega pensando em um milhão de…

vinte e dois

naquele dia, eu podia ter gritado ao mundo que te queria porque, dentro de mim, algo dizia: fica mais um pouco, vai… naquele dia, eu já podia dizer e querer, já podia me expressar sem medo, já podia te olhar mais de perto porque, dentro de mim, algo dizia: fica mais um pouco, vai… naquele…