meu par

eu te chamei pra correr naquele dia porque no fundo eu sabia que havia chance da gente sonhar junto.

você me olhou, daquele jeito que só você me olha, e entendeu que eu queria transformar aquele instante em poesia. e a gente conseguiu, né?

a gente correu, chegou até o carro e, em vez da gente pensar na loucura, a gente pensou em tudo que dava pra tirar daquele momento, a gente fez, do segundo, a chance perfeita pra sorrir e tirar da incerteza o que mais temos de valioso: a cumplicidade.

teu sorriso se achou no meu, meu olhar se encontrou no teu. e eu, mesmo que não consiga achar a palavra certa pra te dizer, te digo, hoje e sempre, que naquele dia aquela corrida foi a coisa mais especial que pude te pedir; porque, por maior que seja a nossa simplicidade, te pedi com humildade um gesto de valor; pequeno, mas grandioso perante toda a sua garra, toda a sua vontade de ficar comigo.

obrigada, te digo sempre. obrigada, te direi eternamente. não por obrigação, sim por te lembrar, todos os dias, que dentro da gente há um universo lindo a compartilhar, há uma estrela – várias delas – pronta pra amar.

obrigada por ter topado fazer parte da minha imensidão, obrigada por me deixar sonhar a sua.

eu te vejo cantar, você me vê escrever e a arte nos assiste dar as mãos pra sentir no infinito. a gente faz o nosso infinito. e, pelos sonhos, te agradeço, sabendo que, em qualquer lugar, você sempre será o meu par.

amor,
Caca