insegurança

me deixa pisar, vai, me deixa pisar em qualquer lugar: eu só quero voar.

eu quero voar e descobrir mundos e mais mundos de fantasia, eu quero voar e descobrir que a fantasia tá aqui, sabe, tá em mim, tá em você, tá no ar.

eu quero flutuar, quero andar pelas nuvens e sentir o vento bater, quero pular cada uma e ter certeza da minha imensidão. eu quero ter certeza da minha imensidão. quero sorrir sem desistir, quero caminhar sem pensar, quero pensar e, a cada instante, imaginar. eu quero imaginar sempre, o tempo todo, um mundo tranquilo, bonito e feliz, um mundo sem violência, daqueles que muitas vezes a gente vê em filme, e eu quero fazer do filme a minha realidade. eu quero a realidade. eu quero a realidade dos dias, dos segundos, dos momentos. eu quero aquela realidade que bate na porta sem pedir licença, eu quero pedir licença pra liberdade, eu quero ser a liberdade. eu quero ser livre, entende? eu quero ser livre! livre pra poder voar, livre pra poder sorrir, livre pra poder amar. e mais, muito mais. eu quero mais. eu quero mais do que tento imaginar, quero mais do que tento alcançar. eu quero o infinito. e eu sei que ele tá aqui, ó, dentro da gente. eu quero gente, muita gente, gente pra contar histórias, gente pra ser história. gente pra flutuar comigo, gente pra andar ao lado, gente pra mergulhar nas loucuras e transformá-las em passatempo. eu quero tempo. tempo, muita coisa de tempo, tempo pra fazer tudo o que eu tenho em mente, tempo pra ajudar todo mundo, tempo pra, a cada segundo, me ajudar também. eu quero somar. quero a soma que dá quando um olhar se conecta com o outro, quero a soma do sorriso que ilumina qualquer lugar. eu quero ser o meu lugar. e, na verdade, eu sou. a gente é. e a vida entende, a vida entende…

por isso, vem cá, vai, me deixa pisar! eu olho pra janela, sinto a energia do universo e, como num passe de mágica, me vejo ali. minha imaginação é maior do que o que me impede de voar; ela me solta pra, a todo espaço de tempo, eu me permitir ser o que a crueldade do homem tentou me esconder: a felicidade da minha eternidade.

eu escolhi voar. e ninguém, nem mesmo a insegurança, vai me impedir de tentar.

amor,
Caca

Uma resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *