sobre amar

o amor toma conta de cada pedaço.

ele chega, se instala, fica. faz de tudo e mais um pouco pra realizar, deixa todo mundo imaginar rios e mais rios de felicidade, transforma qualquer momento no instante perfeito pra abraçar. e que abraço, viu? é o melhor lugar pra existir em dois.

o amor não pergunta se a gente quer: ele acontece. acontece e traz consigo a paz que a gente precisa pra olhar pro outro e entender, pra dizer coisas lindas, pra sentir o infinito e fazer dele a fórmula perfeita pra ser feliz. e ser, sabe, só ser, sempre com a esperança de que a vida há de melhorar, que a vida há de seguir em frente, que a vida seguirá sem tantos conflitos pra, a cada minuto, ser mais. e mais, mais, mais.

o amor é a adição do que há de mais bonito, é a subtração do que traz tristeza, é a multiplicação do desejo e a divisão dos dias. o amor não precisa de matéria, mas utiliza cada uma pra representar. o amor é o encontro das almas, a alegria dos sorrisos, a vontade dos olhares, a eternidade do coração. é o que a gente vê e se emociona, é a fala dos desentendidos, é a espera do que tá aqui – e aí, e lá, e em qualquer lugar. é o que adiciona momentos felizes pra representar sabedoria, é o que faz da sabedoria a maneira certa de compartilhar. é o queijo e o vinho, a porta e o caminho, o desejo e o querer. é a união em dois multiplicada por mil, a vontade de agradar e de sorrir, o sorriso pronto pra acalmar. o amor respira com a gente, e a gente deixa a paixão falar e falar pra, depois, se inspirar.

o amor pode não ser nada disso do que eu tô falando porque o amor bate de forma diferente em cada pessoa. o que o amor não pode é ser abusivo, é tirar a felicidade de alguém, é ser o oposto do que a gente imagina. só que, se for assim, será que é amor?

é que o amor traz, doa, recebe, percebe, ama. o amor é a soma dos dias mais especiais, é o riso frouxo de mãos dadas com a bobeira, é a cor que faz a gente acreditar. é a crença eterna, o abraço-casa, a flor que brilha sem perceber. é o que me faz escrever, é o que transmite sintonia, é a vida em forma de coração. é palavra, é afeto, é carinho. é amizade, é família, é próprio. o amor é a luz que a gente não vê, é o que ilumina sem perceber, é a vida dizendo: vai, vai! se entrega! vai ser feliz, enfim.

o amor é a entrega, a coerência, o movimento. é o que move o mundo. e que bom, né? que bom que o amor existe. sem ele, o tudo nada seria.

o amor é o que a gente quiser que ele seja. e eu, em qualquer momento, espero que o amor sinta, acima de tudo, seu próprio ato de amar.

amor,
Caca

1 comment

Add Yours

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s